Blog


Crise energética: dicas para o síndico preparar o condomínio


Recentemente, temos nos deparado com alertas sobre uma crise energética, e isso significa que um síndico precisa estar preparado para lidar com este cenário e evitar possíveis apagões no condomínio!

Além de se dedicar para evitar esses apagões, o síndico também deve estimular que os moradores gastem energia elétrica de forma consciente.

Mesmo em um momento que não seja de crise, os custos de eletricidade são algo que todos queremos minimizar. Afinal de contas, ninguém deseja receber uma conta de luz cara.

A boa notícia é que você pode se preparar para um momento de crise energética - e para os temíveis apagões -  e também orientar os moradores do condomínio para que economizem energia.

Muitas vezes esquecemos que são nossas próprias ações (ou a falta delas) que, pelo menos em parte, afetam o valor final da conta de energia.

Provavelmente você já deve ter ouvido falar em algumas dicas antigas para evitar o uso excessivo de eletricidade, como:

"Apague as luzes quando não estiver na sala", "Não durma com a TV ligada", "Desconecte os eletrodomésticos quando não estiverem sendo utilizados", entre outras.

As dicas acima definitivamente são úteis, mas você pode fazer ainda mais pelo seu condomínio!

Continue a leitura e confira algumas dicas eficientes e que poderão te ajudar a se preparar quando o assunto é crise energética e economia de energia!

Dicas para preparar o condomínio para a crise energética

Nos próximos meses, os síndicos precisam estar preparados para as consequências da crise energética, sendo os apagões uma das principais delas.

Além disso, o verão está próximo, o que pode provocar tempestades, que também podem gerar a queda de energia no condomínio.

Vale destacar que os apagões não são algo previsto somente para este ano. Eles já aconteceram antes e muito provavelmente acontecerão nos próximos anos.

Logo, é extremamente importante que os condomínios estejam preparados para lidar com essa situação.

O síndico pode preparar para que o condomínio enfrente uma crise energética ao se atentar às seguintes questões:

  • Revisão do sistema de nobreaks e geradores;
  • Avaliação e aprimoramento do funcionamento da portaria;
  • Treinamento da equipe.

Entenda melhor como os equipamentos para enfrentar as quedas de energia funcionam e confira mais algumas dicas a seguir!

1. Conte com a tecnologia e equipamentos durante as quedas de energia

Existem algumas tecnologias e equipamentos que se tornaram essenciais para condomínios em momentos de quedas de energia, sendo alguns deles: gerador e nobreak.

Graças a eles, em momentos de apagões é possível manter em funcionamento os serviços que são essenciais no condomínio e, consequentemente, manter a segurança de todos.

Leia a seguir como cada um deles funciona:

Gerador: como o próprio nome sugere, um gerador tem a função de ser uma fonte geradora de eletricidade. O equipamento pode gerar energia elétrica no condomínio por cerca de 6 horas em situações de apagões.

Geralmente, equipamentos essenciais são ligados ao gerador, sendo alguns deles:

  • Portões;
  • Elevadores;
  • Portaria remota;
  • Sistemas de segurança.

Nobreak: este é um equipamento de proteção, que funciona à bateria. Em casos de quedas de energia ou oscilações de eletricidade, o nobreak evita a queima de aparelhos eletrônicos que estão conectados a ele.

Além disso, o equipamento funciona como uma fonte de energia, conseguindo manter os aparelhos ligados por algumas horas, de acordo com a potência que ele possui.

Em condomínios, um nobreak costuma ser utilizado principalmente para:

  • Computadores;
  • Interfone;
  • Sistemas de segurança.

Precisamos dizer que existem versões de nobreak que possuem alta performance e têm a capacidade de manter em funcionamento equipamentos que são mais robustos, como portarias remotas e até mesmo elevadores.

Caso o condomínio não conte com geradores e nobreaks é importante que seja uma prioridade investir nesses equipamentos. Essa é a melhor maneira de se preparar para a crise energética.

2. Esteja preparado para usar o gerador

Se o seu condomínio conta com um gerador, ou contará com um em breve, é importante ter atenção aos seguintes pontos:

  • O condomínio possui contrato de manutenção periódica do gerador?
  • O síndico e funcionários do condomínio sabem quais equipamentos serão atendidos pelo gerador?
  • Durante a manutenção mensal - que é muito importante que seja realizada - está sendo verificado que os equipamentos estão ligados ao gerador?
  • O tanque do gerador está com combustível suficiente?
  • Quem opera o equipamento - provavelmente o zelador - está treinado para fazer isso, principalmente em situações de falhas?
  • O combustível está sendo trocado nas manutenções semestrais?

Além das questões acima, também é importante que o síndico atente-se as informações abaixo:

Cuidados com o armazenamento do diesel
O síndico não deve permitir que o armazenamento do combustível do gerador seja feito fora do tanque, já que pode promover responsabilidade civil por conta da alta quantidade e do risco de periculosidade que pode gerar aos funcionários.

Portanto, tenha muita atenção ao fazer o armazenamento do diesel e siga sempre as recomendações de segurança.

Usar o gerador de forma consciente
A cada dia que passa estamos vendo os combustíveis ficarem mais caros. Logo, não adianta tentar reduzir custos na conta de energia e gastar muito dinheiro com o diesel.

Com isso, o condomínio deve utilizar o gerador de forma consciente, ou seja, focar o seu uso em situações de crise energética.

Lembre-se sempre que o gerador deve ser utilizado com o objetivo de garantir a segurança das pessoas e dos funcionários.

Em cenários de crise, se o condomínio direcionar o uso do gerador para as unidades dos moradores, por exemplo, poderá deixar de manter em funcionamento áreas primordiais e que afetam a todos.

3. Crie um plano de contingência para apagões

Apenas ter um gerador e nobreak não é suficiente para você estar preparado para casos de apagões de energia.

Também é importante ter um plano de contingência para esse tipo de situação. Somente dessa maneira você poderá agir da melhor maneira possível quando o condomínio ficar "no escuro".

Aqui estão algumas dicas para você criar o seu plano:

Tenha em fácil acesso os contatos das empresas de manutenção do gerador para que possa falar com eles o mais rápido possível;

  • Ofereça treinamento para os funcionários;
  • Tenha fornecedores confiáveis e que possam te atender em situações de "emergência", como: fornecedores de manutenção e abastecimento;
  • Revise todos os contratos de prestadoras de serviço para ter certeza que terá auxílio quando necessário;
  • Escolha fornecedores que poderão oferecer um atendimento mais ágil, por exemplo, opte por opções onde a localização seja mais fácil até onde está  o condomínio;
  • Tenha atenção ao suporte técnico de empresas terceirizadas e entenda em quanto tempo elas poderão chegar até o condomínio;
  • Compreenda como funciona a portaria remota. É importante contar com: nobreak, gerador,  atendimento presencial do serviço de suporte para situações de emergências e assim por diante.

Dicas para economizar energia no condomínio
Agora que você já sabe como preparar o seu condomínio para a crise energética, principalmente quando se trata de apagões, está na hora de saber o que você e os moradores podem fazer para reduzir o consumo de energia.

Aqui estão algumas dicas para que você possa repassar para os moradores do condomínio e, todos juntos, colaborarem para que a eletricidade seja utilizada de forma consciente.

  1. Fazer auditoria energética
    Uma auditoria de energia ajuda a identificar exatamente onde a eletricidade é mais consumida em uma unidade.

    A obtenção de uma auditoria pode mostrar onde é necessário reduzir o uso de energia e substituir aparelhos que consomem muita eletricidade devido à ineficiência (por exemplo, refrigeradores antigos que têm que trabalhar muito).
  2. Climatizar a unidade
    Unidades que possuem ar condicionado podem estar deixando de aproveitar recursos naturais para climatizar os ambientes.

    Ao invés de deixar o ar condicionado ligado durante horas - o dia inteiro e até mesmo a noite inteira -, o morador pode optar por tentar ao máximo climatizar o seu apartamento ou casa de forma natural.

    É possível fazer isso ao promover entradas de corrente de ar nos ambientes. Mas, como fazer isso?

    Basta criar o hábito de deixar os ambientes abertos, tanto portas internas quanto janelas, por exemplo. Se isso for feito durante o fim da tarde ou início da noite, onde as temperaturas costumam estar mais baixas, o resultado é ainda melhor.

    É importante deixar claro que essa opção só é válida se não for interferir no bem-estar e segurança do morador.
  3. Trocar as janelas
    As janelas já foram citadas no tópico anterior, mas merecem destaque quando o assunto é o desafio de economizar energia.

    Isso porque elas podem gerar um grande impacto no custo na conta de energia por serem capazes de aquecer e resfriar um ambiente. O calor passa pelas janelas no verão e faz com que um ar condicionado trabalhe horas extras.

    Durante o inverno, o ar frio passa pelas janelas e reduz a temperatura interna de um aquecedor, por exemplo.

    Embora a substituição de janelas mais antigas por modelos mais novos com eficiência energética diminua significativamente a quantidade de ar que consegue passar pelas vidraças, também existem algumas opções menos caras que vale a pena considerar.

    Além disso, alguns itens para janelas podem adicionar estilo ao interior da unidade e também servir para torná-la mais eficiente em termos de energia.

    Cortinas e persianas, por exemplo, podem ajudar a isolar as janelas e impedir a entrada do ar frio no inverno e do ar quente no verão.

    A instalação de toldos e saliências externas também pode ajudar a proteger suas janelas dos elementos externos e minimizar a quantidade de energia transferida através do vidro.

    Essas modificações ajudam a reduzir a carga em sistemas de aquecimento e resfriamento, o que impacta diretamente na conta de energia.
  4. Livre-se de cargas de energia "fantasma"
    Uma carga fantasma é causada por um aparelho ou outro item elétrico que usa energia mesmo quando está "desligado".

    Para evitar que esse "vazamento" de energia afete a conta de energia, é possível instalar réguas de eletricidade e desligá-las quando não estiver usando os itens conectados.

    Também estão disponíveis réguas de energia “inteligentes” que desligam automaticamente quando não estão em uso para evitar essas cargas fantasmas.
  5. Foco na limpeza
    Sim, a limpeza pode ajudar a reduzir sua conta de luz. Existem vários locais na casa que, quando limpos, ajudam os seus eletrodomésticos e utilitários a funcionar de forma mais eficiente.

    Quando os aparelhos funcionam com eficiência, eles usam menos eletricidade. Aqui estão alguns exemplos:
    - Limpar o coletor de fiapos da secadora;
    - Limpar as bobinas da geladeira.
  6. Desligue as luzes
    Sim, essa dica é óbvia, mas muitas pessoas a ignoram. É importante desligar as luzes sempre que um espaço não estiver em uso por 15 minutos ou mais.

    Como síndico, você pode considerar instalar sensores de presença para controle automatizado das luzes em áreas comuns.

    Dessa maneira, as luzes só serão ligadas quando alguém transitar pelas áreas comuns onde o sensor estiver instalado.
  7. Relatar problemas de manutenção
    Em casos de problemas de manutenção, é importante que eles sejam relatados imediatamente para evitar longos períodos de operação inadequada.

Coloque ou envie comunicados aos moradores avisando sobre essa questão, para que eles fiquem atentos e relatem qualquer problema assim que ele for identificado.

Últimas considerações

A crise energética é real e toda a população precisa estar preparada para enfrentá-la, principalmente quando se trata de condomínios.

Neste artigo, você conferiu algumas dicas para preparar o seu condomínio para enfrentar momentos de apagões de eletricidade e mais algumas orientações que pode fazer aos moradores para que eles economizem energia.

Vale dizer que a preocupação com o uso consciente de energia não deve existir apenas em situações de crise, mas sempre em nosso dia a dia.

Como síndico, é possível colocar avisos nas áreas comuns do condomínio com os alertas e indicações sobre o uso de energia. Dessa forma, todos no condomínio podem se preocupar em ter atitudes mais sustentáveis.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo e que ele possa ajudar a preparar o seu condomínio para a crise energética, além de te ajudar a orientar os moradores para que economizem energia, não somente agora, mas sempre!


Faça um teste!

Veja todas as funcionalidades em ação.

Startup acelerada por:

B2Mamy   Sebrae   Founder Institute   WeWork Labs