Blog


Você sabe como estruturar o turno de revezamento em condomínios?


Manter uma rotina organizada dentro de um condomínio não é tarefa fácil. Além de todas as responsabilidades que visam o bem-estar dos moradores, o gestor precisa analisar relatórios, fiscalizar os prestadores de serviços, além de criar um turno de revezamento para os diversos colaboradores que atuam em vários segmentos. 

Para você aprender a estruturar a escala de revezamento em seu condomínio, seja com os funcionários orgânicos ou não, vamos mostrar neste post dicas imperdíveis que o ajudarão a colocar em prática uma gestão bem estruturada. 

Qual a importância de estruturar o turno da equipe? 

O turno de revezamento é uma maneira do síndico organizar o trabalho de equipes de serviços nos vários setores, visando uma adequada manutenção do condomínio

Sendo assim, funções ininterruptas, como no caso de porteiros e seguranças, sempre estão no roll da escala 12 por 36 horas, ou seja, o trabalhador atua 12 horas direto e depois folga antes de retornar ao condomínio. 

A dica é contar com três profissionais nas funções que não param ao longo das 24h, pois um deverá ficar de sobreaviso para cobrir férias ou possíveis ausências.

Com isso, tanto o colaborador quanto a empresa ficam assegurados, tendo em vista que esses turnos estão dentro das normas legais. A dica é observar o orçamento do seu condomínio para fazer a melhor escala. 

Além disso, acontece uma maior flexibilização e eficiência nas atividades, sem falar na otimização do tempo, tendo em vista que o colaborador poderá descansar adequadamente antes de retornar à sua função diária. 

O que diz a Lei Trabalhista, após a Reforma de 2017?  

A jornada especial de 12 horas de trabalho por 36 horas de descanso está prevista e pode ser compensada por meio de aprovação de Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho.  

Graças a Reforma Trabalhista aprovada em 2017, a Lei 13.467 expandiu a escala para todas as categorias, ou seja, o seu condomínio estará protegido, juridicamente falando. 

Além disso, as mudanças ainda tocaram na terceirização dos serviços. Assim, se o seu condomínio optar por contratar empresas especializadas para os diferentes serviços — tanto de manutenção quanto de auxílio aos moradores —, a porta está aberta com o respaldo da lei trabalhista, reduzindo os custos e aumentando a produtividade. 

Que práticas de gestão ajudam no turno de revezamento?       

Se o seu condomínio contratar uma empresa terceirizada para realizar os serviços internos, caberá ao gestor fiscalizar o cumprimento das cláusulas do contrato, conferindo prazos e a qualidade do que é realizado. 

Agora, se a opção for contar com uma equipe própria, o síndico terá a responsabilidade de montar o turno de revezamento, além de exercer as obrigações trabalhistas e administrativas.  

Entre as práticas, o profissional vai calcular o orçamento anual, as previsões de gastos e também os pagamentos do 13º salário, recolhimento do FGTS e depósito do vale-transporte para quem precisar, com os devidos descontos em folha. 

A dica é sempre promover reuniões com os colaboradores, oferecendo, ainda, cursos de capacitação, além de organizar as atividades de um modo que ninguém fique sobrecarregado. Assim, o turno de revezamento contribuirá com o bem-estar tanto dos moradores quanto dos funcionários. 

Mas se o turno de revezamento não o atrai, veja neste post as vantagens e desvantagens da portaria remota e faça uma boa escolha para o seu condomínio.


Faça um teste online!

Veja todas as funcionalidades em ação.