Blog


Como implantar um sistema de controle de visitantes?


O fluxo constante de pessoas no dia a dia do condomínio requer cuidado e atenção dos moradores. Em um país violento e no qual frequentemente são discutidas novas alternativas para melhorar a segurança dos cidadãos, é preciso ficar alerta.

Você sabia que, segundo dados levantados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, houve um aumento de 172% de roubos e furtos em condomínios no período de um ano na capital do estado? Levando isso em consideração, é preciso pensar em quais são os procedimentos que devem ser tomados para evitar essas ocorrências. 

Confira neste post dicas de como implantar um sistema de controle de visitantes eficiente em seu prédio.

Defina um protocolo para a entrada e a saída de pessoas

Existem determinados condomínios nos quais não são instituídos procedimentos de entrada e saída de pessoas, devido à infraestrutura e ao menor número de condôminos. 

Entretanto, e independentemente das características do prédio e do que foi acordado pelos moradores, é importante monitorar as pessoas que vão ao local. Portanto, é necessário estabelecer etapas de identificação, registro e confirmação.

A identificação se faz por meio de comunicação eletrônica (interfones) ou da presença de um porteiro. O visitante deve se identificar e informar por que vai visitar o local, bem como o nome da pessoa que conhece no prédio.

Após ver um documento de identidade e registrar o nome completo do visitante, o porteiro é autorizado a interfonar para o morador, verificando se a pessoa está autorizada a ter acesso ao prédio. Todos esses procedimentos fazem parte de um bom sistema de controle de visitantes. 

Adotando-se essas medidas, é possível manter inspeção restrita na entrada e na saída de pessoas — seja no caso de entregadores, prestadores de serviço ou hóspedes — e manter um registro de frequência de pessoas que pode ser útil algum dia.

Monitore o acesso à garagem

A entrada de garagem nos prédios normalmente é realizada com uma rápida confirmação do porteiro. Entretanto, esse pode ser um hábito arriscado. O funcionário pode começar a autorizar o acesso baseando-se apenas nos modelos e nas cores de automóveis do condômino.

Uma solução é criar crachás e adesivos de identificação para todos os veículos. Nessa identificação, é possível, inclusive, identificar cada morador por bloco e número do apartamento. 

Já em situações nas quais há vaga de estacionamento destinada à visitantes, é importante que a placa do veículo, o nome do proprietário e o nome do morador que vai ser visitado fiquem registrados em um sistema de controle.

Com essas ações, é possível conferir maior segurança e agilidade no processo de verificação e monitoramento remoto do porteiro.

Utilize sistemas automatizados de controle de visitas

O crescimento exponencial da tecnologia proporciona o desenvolvimento contínuo de diversos sistemas computadorizados de vigilância e comunicação.

Com isso, há o surgimento de aplicativos de celular que têm o objetivo de tornar a gestão condominial simples e acessível — tanto para o síndico quanto para os moradores. É possível criar uma rede informacional na qual os vizinhos possam se ajudar, facilitando o processo de comunicação.

Mas há situações (em casos de familiares próximos, amigos e pessoas de confiança, por exemplo) nas quais o protocolo de entrada e saída pode ser menos formal. O controle pode ser realizado virtualmente, por meio de aviso prévio. O aviso vai ser visualizado e deliberado por todos os usuários registrados no aplicativo.

Portanto, procure opções nas quais a inserção e a geração de dados nos sistemas sejam rápidas e seguras. Isso facilitará a tomada de decisão dos gestores do condomínio e simplificará o trabalho dos funcionários no controle de quem entra e quem sai dos prédios.

Este texto sobre sistema de controle de visitantes foi útil para você? Continue acompanhando dicas e informações de segurança condominial e controle online de portaria


Faça um teste online!

Veja todas as funcionalidades em ação.

Startup acelerada por:

B2Mamy   Sebrae   Founder Institute